sábado, 18 de julho de 2009

A prosperidade do Alemão


O Alemão parece mesmo ser um cara cheio da grana, talvez, com uma riqueza acumulada maior até que a de Bill Gates, ou algum sheik árabe. Será que o ‘Guiness’ sabe da existência do Alemão?... As autoridades econômicas mundiais deveriam ‘comprar’ conselhos do Alemão, para quem a crise não causa nem cócegas.
A verdade é que a prosperidade do Alemão é tão notória, que tropeçamos nela, diariamente, e, na maioria das vezes, nem nos apercebemos disso. Ta pensando que o Alemão é meu amigo?... Até poderia ser, mas não o conheço. O que sei é que o Alemão é um cara com tanta prosperidade, liderando o ‘business’ brasileiro. O mais interessante é que parece ser também discreto, por que não vejo manchetes com a foto do Alemão por aí, mesmo ele tendo negócios em Brasília. Mas, lá, pelo visto, todos os holofotes são focados à sujeira, que “cada vez aumenta mais”, debaixo dos tapetes do Congresso Nacional.
Sempre quando viajo – a cabeça sem o peso do cotidiano -, tenho mais tempo para observar o sucesso do Alemão. Ele está tomando conta do mercado, ampliando os investimentos. E ninguém sabe, ninguém vê. Se lá na Alemanha ele não fazia sucesso empresarial, aqui no Brasil o Alemão ta com tudo mesmo, e não deixa de lado um novo bom negócio. O cara é ousado, mas, mais que isso, é um empreendedor exemplar. Se Mr. Obama conhecer o Alemão, o nosso presidente Lula perde o título de “o cara”, com certeza. Mas parece que o Alemão não tenciona concorrer com o presidente da República. O que o Alemão quer mesmo é continuar ampliando os negócios, que vão de vento em popa. Pudera.
Você também deve conhecer o grande potencial empresarial do Alemão, que se alastra por todo o Brasil – nas cidadezinhas de beira de estrada, com menos de dois mil habitantes, até as grandes metrópoles, onde a população se acotovela em filas de bancos, mercados, faixas de segurança, trânsito, etc e tal. Duvido quem nunca tenha visto uma placa de um dos negócios do Alemão, ou até que não seja cliente dele:

- Açougue do Alemão;
- Borracharia do Alemão;
- Restaurante do Alemão;
- Oficina do Alemão;
- Supermercado do Alemão.

Ah, mas o Alemão não para por aí – o Alemão quer mais e mais mercado:
- Pizzaria do Alemão;
- Posto de Combustíveis do Alemão;
- Lanchonete do Alemão;
- Fruteira do Alemão;
- Sorveteria do Alemão.

Quer mais?... O Alemão não deixa por menos, e manda ver:
- Pastelaria do Alemão;
- Fábrica de Calçados do Alemão;
- Banca do Alemão;
- Revenda de Caminhões do Alemão;
- Loja de Confecções do Alemão.
(Essas foram algumas, das tantas, placas que vi, por todo lugar.)

Já me disseram que o Alemão também está tomando conta do mercado de produtos de R$ 1,99. Espero que me contem aonde, por que ainda não sei, e gosto de estar bem informada, pois me tornei fã do Alemão, o maior empresário que eu já vi. Você ainda tem alguma dúvida?...

Um comentário:

  1. Olá! Adorei o texto, muito interessante e prende com o suspense que vc fez com o Alemão. Fiquei lendo e pensando quem será esse Alemão? Não fazia ideia. Parabéns ficou ótimo.

    Anderson

    ResponderExcluir

De olho