terça-feira, 6 de abril de 2010

A meada do fio


O adolescente:
- Tudo foi culpa da minha mãe, que me proibiu de sair pra comer a maior gatona, que me chamou pra discutir relação!...
A mãe:
- A culpa foi do meu marido, que chegou cedo em casa, me xingando e me estressando!...
O marido:
- Eu estava irritado, por que a minha secretária não quis fazer um programinha comigo!...
A secretária:
- Eu não podia fazer programinha com o chefe, por que estava com meu namorado em casa, e ainda tinha mais o que fazer, antes de ficar com meu amor!...
O namorado:
- Eu trabalho em outra cidade, e ganhei folga do patrão!...
O patrão:
- Eu dei folga, por que o diretor do RH estava avaliando o trabalho dos funcionários, o quanto cada um faz falta!...
O diretor do RH:
- Eu inventei essa estorinha de avaliação, por que precisava mostrar serviço, pra competir com meu cunhado, que foi promovido na empresa em que trabalha!...
O cunhado:
- Fui promovido, por que puxei saco do chefe!...
O chefe:
- Tudo o que eu queria era um programinha com a secretária, mas não imaginava que meu filho adolescente fosse o pai da criança!...

Moral da história?... A moral da história é que nem toda história tem moral da história!... Ah, você quer saber da criança?... A criança vai nascer logo, depois do casamento apressado da secretária com o filho adolescente do chefe, que contratou o ex-namorado da secretária como diretor do RH da empresa quase falida, depois da partilha dos bens, com a separação da mãe do adolescente, que conheceu o diretor do RH (autor da estorinha de avaliação), que pediu demissão, abriu o próprio negócio, e tem como amante, o ex-namorado da secretária, aquela que é filha do (outro) patrão, e carrega na barriga o neto do chefe, que daqui a pouco vai ter váááários programinhas de madrugada, trocando fraldinhas do garoto que terá o nome daquele cunhado promovido na empresa... hehehehehehehehehe

Nenhum comentário:

Postar um comentário

De olho