segunda-feira, 17 de maio de 2010

Na boiada da vida

‘Tá’ bom, ‘tá’ bom... Não diga não. Diga sim, sim - pra tudo, pra todos.
- Aceita a vida que te desanima, e sempre diga: “Se Deus quer assim...”
- Não reclama das horas-extras que você é obrigado a fazer, sem qualquer pagamento por isso.
- Sorria e agradeça a todos que te humilham, pisoteiam teus sonhos.
- Obedeça, obedeça, não raciocina, não pensa, nada questiona.
- Não reclama do aumento nos preços do pão, da passagem do ônibus, da roupa, do feijão.
- Não dá importância, se alguém te esquece, no meio do caminho.
- Faça, por que todo mundo faz; diga, por que todo mundo diz; te omita, por que todo mundo se omite mesmo.
- À noite, assista muitas novelas (todas), e realitys shows; e, durante todo dia, fofoca, fofoca muito, fica de olho mais na vida dos outros que na tua vida.
- Busca somente prazeres momentâneos, por que amar dá muito trabalho.
- Faça tua família te odiar, por que você é muito mais você, sem família alguma.
- Não esqueça: em primeiro lugar, você; em segundo lugar, você; em terceiro lugar, você... sempre, você.
- Beba pra esquecer, e depois beba pra lembrar que esqueceu.
- Espezinha os teus íntimos, com indiferença e desrespeito, e trata os teus estranhos, com extremo respeito e atenção.
- Fuja de quem não concorda contigo, e busca só quem te bajula.
- Trabalha muito, pra ganhar mais, endividar-se mais ainda, comprar o que não precisa, exibir quem você não é, pra quem você nem sabe.
- Ama somente os que te odeiam, ou te invejam, e comemora a companhia deles.
- Vota nos candidatos bonitinhos, sedutores, por que os feios e sérios são chatos demais, e ficam horríveis na foto.
- Nega amizade, amor, diga não a tudo que possa te fragilizar e machucar.
- Se algum sonho ainda sobrevive em você, cruza os braços, ou levanta as mãos aos céus, que, quando você menos esperar, chove, ou cai alguma ‘merdinha’ de pássaro.
- Não aceita favores, nem os faça a ninguém, por que tudo tem preço, nesta vida de comércio humano.
-Valoriza as pessoas, pela conta bancária de cada uma delas.
- Lembra que ninguém merece a maravilha que você é, e aceita a solidão como troféu.
- Jamais mostra as tuas lágrimas, por que fará muita gente rir da tua cara.
- Não creia que alguém te ama de graça, por que amor também é produto comercializável.
- Finja, finja tudo, pra todos - o tempo inteiro.
- Joga fora todas essas baboseiras que não dão dinheiro: poesia, música, literatura.
- Aceita e obedeça as mudanças que o mundo quer fazer em você, e te mata, se preciso for, pra atender a todos.

E ainda canta o poeta Gonzaguinha:
“...Você deve aprender a baixar a cabeça
E dizer sempre: ‘Muito obrigado’
São palavras que ainda te deixam dizer
Por ser homem bem disciplinado
Deve pois só fazer pelo bem da Nação
Tudo aquilo que for ordenado
Pra ganhar um Fuscão no juízo final
E diploma de bem comportado...”

Ah, só não esqueça que, se você agir assim, pode andar de quatro por aí, numa boa – siga a boiada, que vai logo ali adiante...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

De olho