sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Piadas da vida

Confesso que não sou muito de piadas ensaiadas, decoradas. Até me parece que as risadas, durante essas piadas, também são ensaiadas. Na maioria das vezes, quando ouço uma piada dessas – seja na televisão, ou em roda de amigos -, fico atenta às demais testemunhas (quando riem, esboço um sorriso). Admiro os humoristas de improviso – eles, sim, têm a “veia cômica”. Mas o que gosto mesmo é das piadas da vida, as piadas surpreendentes, naturais, acontecidas uma vez só na vida – às vezes, até contadas, passadas adiante, mas sem o ‘clima’ que as gerou. Com essas, sim, até gargalho.
As piadas da vida são mais sutis. Por isso, você precisa ficar esperto, atento, senão, as piadas da vida passam, no teu cotidiano, e você nem as percebe. Vou te dar uma “canjinha”, deixando aqui o registro de algumas dessas (tantas) piadas da vida:

- Acabei o livro que eu estava lendo...
- Gostou da leitura?...
- Gostei, sim... Só não gostei do final, por que a protagonista morre...
- Sobre o que era?...
- Uma biografia...

- Eu não acho o mesmo que eles acham. Eles é que acham que são contra mim. Aí, já viu, né?...

- Li teu blog. Até que você escreve bem. ‘Tô’ pra lançar mais um livro de minha autoria. Se você quiser me vender tuas poesias, pago dez reais cada uma...

- (...) Por isso que a primeira impressão é que fica mesmo, por que a primeira impressão não acontece duas vezes...

- Uau, que vista maravilhosa daqui!... Deve mostrar cada pôr-de-sol, hein?...
- Que nada!... Só quando tem sol mesmo...

- Não posso ir agora, tenho compromisso com a democracia – do riso. ‘Tô” assistindo horário eleitoral.

- Minha vó finge que ‘tá’ mortinha, ‘mais’ eu sei que ela ‘tá’ fingindo que ‘tá’ dormindo...

- Que filme você foi assistir?
- Corpúsculo!...

- Que biscoito é esse aí que você pegou no armário, e ‘tá’ comendo?...
- É S.P.V. – Sem Prazo de Validade. Uma delícia!... Quer?...

Um comentário:

  1. Nara,

    Passei por aqui, passa lá no meu Blog gente crítica e com humor refinado é bem vinda!

    Carlos Kurare

    "Brinco de esconde-esconde com a morte, há cinco décadas! Mas, a cada dia, fica mais difícil achar um lugar para me esconder."
    Carlos Kurare

    ResponderExcluir

De olho