terça-feira, 21 de setembro de 2010

Eu quero experimentar!

Lá em casa, dizem que eu não sou mais criança, pra ficar brincando com videogame. Na escola, dizem que eu preciso estudar, pra ser alguém – eu já sou alguém, desde antes de eu nascer. Aonde procuro trabalho, dizem que eu tenho de ter experiência – experiência? acho que tenho, mas ninguém quer saber das minhas experiências.
Aí, fico pensando: Como é que eu vou conseguir a tal experiência, se não me deixam experimentar?... Eu quero experimentar!... A ‘coisa’ tá difícil, por que fico batendo, de porta em porta, e o que ouço é: “Precisa ter experiência, para ocupar a função”. Será que alguém, adolescente como eu, nasce com experiência de trabalho?... As minhas dúvidas são tantas, e eu mal comecei a viver...
Primeiro, não me permitiam votar. Mas, depois, ajeitaram as ‘coisas’, e todo adolescente brasileiro já pode votar, depois que completa 16 anos. Nem me importo com a proibição de adolescente no volante, antes dos 18 anos. Melhor assim, pra gente continuar vivendo. Agora, essa historia de redução da idade penal me deixa ‘p. da vida’. O que ‘tão’ querendo os adultos que defendem isso, se são os próprios adultos que ‘recrutam’ menores pra cometerem delitos?... Eu não entendo.
Meus pais sempre dizem que a prioridade é o estudo, por que, segundo eles, o estudo é a porta para uma carreira profissional. Eu estudo, e sei que não posso ficar sem trabalho. Mas como é que vou trabalhar, se preciso ter experiência (prática), se eu nunca experimentei?... Quando tento conversar sobre isso com meus amigos, eles já me oferecem outras ‘coisas’ pra eu experimentar. O que vejo é que ‘tá’ mais fácil eu experimentar drogas que a responsabilidade de um trabalho. Lá na escola, me oferecem todo tipo de drogas, e ninguém pergunta se tenho experiência...
Meu tio, que tem quarenta e poucos anos, perdeu o trabalho, por que a empresa onde ele estava há anos faliu. O estranho, pra mim, é que meu tio também não consegue voltar ao mercado de trabalho – ele, com tanta experiência. Será que tem tempo de validade, pra gente trabalhar?...
Lá em casa, já ‘tão’ achando que é moleza minha, que eu não quero saber de trabalho. Também, fica difícil acreditar que um adolescente, como eu, fica perambulando o dia todo, atrás de trabalho, e não consegue um “trampo” qualquer. Tô ficando experiente mesmo em procurar trabalho. Vou logo dizendo: Não tenho experiência alguma. E ninguém mais fala comigo. Depois, quando volto pra rua, fico olhando a cara de cada um que passa, e pensando: Será que toda essa gente nasceu com experiência em tudo?... Só cruzo por gente ocupada demais... e eu ali, no meio de tudo – ainda adolescente...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

De olho