sábado, 2 de abril de 2011

Matar & morrer


A gente passa a vida inteira matando – e morrendo também. Matamos tempo. Matamos fome. Matamos aula. Matamos barata. Matamos horario. Matamos sonho. Matamos sede. Matamos saudade. Matamos monotonia. Matamos desafio. Matamos com o olhar. Matamos esperança. Matamos depressão. Matamos no jogo. Matamos frio. Matamos silencio. Matamos imaginação. Matamos entendimento. Matamos primeiro. Matamos trabalho. Matamos ausencia. Matamos tentativa. Matamos lembrança. Matamos programa. Matamos presença. Matamos poesia. Matamos ignorancia. Matamos com a palavra. Matamos relacionamento. Matamos possibilidade. Matamos musica. Matamos doença. Matamos ideal. Matamos imagem. Matamos expectativa. Matamos informação. Matamos jardim. Matamos oportunidade. Matamos sentimento. Matamos calor. Matamos curiosidade. Matamos gravidez. Matamos paz. Matamos viagem. Matamos besteira. Matamos personagem. Matamos ponto de interrogação. Matamos natureza. Matamos desamor. Matamos caminho. Matamos brincadeira. Matamos preconceito. Matamos indecisão. Matamos dialogo. Matamos guerra. Mas também morremos. Morremos de medo. Morremos de tanto cantar. Morremos de preocupação. Morremos de raiva. Morremos de desespero. Morremos de tanto sambar. Morremos de calor. Morremos de tristeza. Morremos de tanto pensar. Morremos de vontade. Morremos de rir. Morremos de orgulho. Morremos de tanto correr. Morremos de angustia. Morremos de saudade. Morremos de tanto sofrer. Morremos de preguiça. Morremos de tanto pedir. Morremos de intolerancia. Morremos de dor. Morremos de insegurança. Morremos de tesão. Morremos de tanto procurar. Morremos de inveja. Morremos de frio. Morremos de indignação. Morremos de ciúme. Morremos de tanto repetir. Morremos de vaidade. Morremos de tanto chorar. Morremos de cansaço. Morremos de tanto esperar. Morremos de tanto prazer. Morremos de susto. Morremos de má interpretação. Morremos de mau humor. Morremos por ultimo. Morremos de revolta. Morremos de tanto fugir. Morremos de solidão. Morremos de tanto amar. Morremos de discriminação. Morremos de acreditar. Morremos de egoísmo. Morremos de indiferença. Morremos de tanto brigar. Morremos de falta de. Morremos de ambição. Morremos de tanto caminhar. Morremos de pena. Morremos de tanto gritar. Morremos de tanto pecar. Morremos de acomodação. Morremos de tanto ler. Morremos de sono.

... Depois de tanto matar & morrer – morremos de vez... e sós.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

De olho