terça-feira, 9 de agosto de 2011

Confissão

Os dóceis animaizinhos quadrupedes (burros de nascença) que me perdoem, mas – confesso! - não suporto burrice de gente grande (e bipede). Não me refiro, aqui, à ignorancia. Burrice é burrice. Ignorancia é ignorancia. Nem me atreveria tentar medir o QI (‘Quociente de Ignorancia’) – nem meu, nem de ninguém. Ignorantes – todos nós somos: mais, ou menos. Eu ignoro (desconheço) tantas coisas – mais, muito mais do que acho que conheço. Eu ignoro, tu ignoras, ele ignora, nós ignoramos, vós ignorais, eles ignoram. Burrice, na minha opinião insignificante, é outra coisa.
Burrice é comprar televisão “de ponta”, não ler o manual de instruções, e desmontar o aparelho (com garantia), sem sequer imaginar como funciona.
Burrice é alguém aprender a ler, e não ler. Haver biblioteca publica na cidade onde mora, sem nunca ter se interessado sequer conhecer a disposição das prateleiras e dos livros desconhecidos.
Burrice é saber que coloca em risco a vida dos outros e a propria vida – se bebe, e sai dirigindo -, e, mesmo assim, bebe, e sai dirigindo.
Burrice é a briga de donos de funerarias, na frente de IML.
Burrice é se jogar do andaime, em pleno trabalho de construção, só para ficar na folga, e ainda receber seguro desemprego.
Burrice é orgulhar-se de não gostar de artes.
Burrice é não ter o que fazer, se olhar no espelho, descobrir uma espinha no rosto, e, por conta disso, ‘esvaziar’ a prateleira da farmacia, consumindo medicamentos desconhecidos, cheinhos de efeitos colaterais.
Burrice é o político confiar cegamente nos assessores.
Burrice é negar o furto que cometeu, registrado por cameras de monitoramento.
Burrice é passar frio, só para ir de vestido novo à inauguração das piscinas do clube, numa tarde de tempestade imprevista.
Burrice é o medico negar atendimento, por falta de dinheiro do doente.
Burrice é assinar contrato, sem ler uma palavra sequer, e, depois, ainda reclamar, ameaçar, fazer o maior escandalo, por que não sabia.
Burrice é o empresario superfaturar os preços de todos os produtos que vende, pagar baixos salarios aos funcionarios (todos sem registro trabalhista), e ainda manter caixas 2, 3, 4, 5, 6...
Burrice é o famoso (ou a famosa) acreditar em fama eterna.
Burrice é a babá espancar a criança, a qual deveria ser cuidada por ela, ignorando a camera instalada pela familia.
Burrice é dizer, com orgulho, que nunca precisou consultar um dicionario.
Burrice é achar (eu - uma perdida na vida - observo gente que acha alguma coisa) que sensibilidade não é “coisa de macho”.
Burrice é deixar de viver, pensar, sonhar, e erguer as mãos aos céus – de onde caem chuva, neve, coco de passarinho, alguns aviões, asas deltas, balões -, à espera de milagres.
Burrice é o profissional autonomo que, recebendo o pagamento do serviço adiantado, não cumpre o contrato.
Burrice é o motorista conduzir o veiculo na poça d’agua, para divertir-se, às custas dos pedestres enlameados.
Na minha visão estrabica, há burrice: no bullying, na homofobia, na humilhação, em toda violencia, toda injustiça, nos pré-conceitos, nos conceitos, nos preconceitos.

Que burrice! – eu escrever essas coisas todas, que, pra mim, não são mais (nem menos) que burrice de gente grande (e bipede)...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

De olho