quinta-feira, 12 de maio de 2016

Elogio da Dialética - Bertolt Brecht

A injustiça avança hoje a passo firme.
Os tiranos fazem planos para dez mil anos.
O poder apregoa: as coisas
continuarão a ser como são.
Nenhuma voz além da dos que mandam.
E em todos os mercados proclama a exploração:
Isto é apenas o meu começo.

Mas entre os oprimidos muitos há que agora dizem:
Aquilo que nós queremos nunca mais o alcançaremos.
Quem ainda está vivo nunca diga: nunca.
O que é seguro não é seguro.
As coisas não continuarão a ser como são.
Depois de falarem os dominantes, falarão os dominados.
Quem pois ousa dizer: nunca?
De quem depende que a opressão prossiga? De nós.
De quem depende que ela acabe? De nós.
O que é esmagado, que se levante!
O que está perdido, lute!
O que sabe e o que se chegou, que há aí que o retenha?
Porque os vencidos de hoje são os vencedores de amanhã.
E nunca será: ainda hoje.
#
Dizem que sou uma pessoa dura. Não sou dura, sou honesta. É diferente. Vou continuar lutando, porque o povo brasileiro merece respeito, consideração e, sobretudo, merece a democracia que nós conquistamos com tanto esforço. (Presidenta Dilma Rousseff)
#
Golpe da direita é assim: tiram a primeira mulher presidenta do Brasil, honesta, para colocar governo só de homens, brancos, corruptos, bandidos, sem voto, machistas. (Emir Sader - sociólogo. cientista político)
#
Parece que não pretendem só o impedimento da presidente. Querem que ela aceite calada e abra mão da garantia constitucional do acesso à justiça. Tenho muita dificuldade de entender e respeitar aqueles que se ofendem com o direito dos outros. (Andréa Maciel Pachá – juíza de Direito)
#
O que espanta é a profusão de bandeiras desfraldadas, a enfeitarem fachadas e carros, ou envolverem cidadãos ignaros. Celebra-se, igual à conquista de uma Taça do Mundo, o enterro do Estado de Direito. O espetáculo é assustador sem deixar de ser patético, reação parva, para não dizer demente, à fatal prepotência cometida contra qualquer propósito democrático. (Mino Carta - jornalista, pintor, romancista)
#
Temer, tema-me. Não vou te deixar governar. E você vai ficar para a história sim, como um usurpador, coberto de vergonha. Nem a tua poesia consegue ser tão ruim quanto isso. (Alice Ruiz – poeta e tradutora)
#
Todos já sabem que o Brasil é um país onde putas gozam, cafetões têm ciúmes, traficantes cheiram, e, segundo Tim Maia, pobres são de direita. Agora, o “New York Times” incorporou: “Onde uma pessoa que não rouba é julgada por ladrões.” (Nelson Motta -  jornalista, compositor, escritor)
#
O que sobrou não se chama mais democracia... (Márcia Tiburi – filósofa)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

De olho